BSK – Basic Science Kits – LD Didactic

Tenha o seu laboratório numa caixa!

Caixas moldadas e planos de armazenamento permitem uma verificação de integridade

Com os Kits BSK pode rapidamente montar experiências do currículo das ciências naturais, de uma forma simples, fácil e divertida. No final das experiências os alunos podem arrumar de volta nas caixas e guardar em local seguro.

Com 135 experiências possíveis nas áreas da Física: – 26 experiências em Mecânica; – 33 experiências em Electricidade; – 22 experiências em Óptica; 19 experiências em Hidrostática e Termodinâmica; – 35 experiências em Energias Renováveis.

BSK Física

  • Mecânica:
    • Medição de comprimentos;
    • Determinação de áreas;
    • Determinar volumes por meio de cálculo;
    • Determinar volumes, por meio de um cilindro de medição;
    • Determinar volumes, por meio de transbordamento do recipiente;
    • Medição do tempo;
    • Determinação da massa;
    • Determinar a densidade de corpos sólidos;
    • Determinar a densidade da água;
    • Massa e força gravitacional;
    • A força de atrito;
    • Centro de massa;
    • Estabilidade;
    • Lei de Hooke;
    • Composição de forças;
    • A alavanca de um só lado;
    • A alavanca de dois lados;
    • Balanço de uma viga;
    • A engrenagem accionada por correia;
    • A polia fixa;
    • A polia solta;
    • Bloquear e derrubar;
    • Plano inclinado;
    • Pêndulo matemático;
    • Pêndulo de mola helicoidal;
    • Medição da velocidade.
  • Electricidade:
    • Electricidade por fricção;
    • Força que actua entre cargas;
    • Acção de um electroscópio;
    • Indução eléctrica em um electroscópio
    • Circuitos simples;
    • Condutores e não condutores;
    • O interruptor de comutação;
    • O circuito inversor;
    • A porta lógica E;
    • A porta lógica OU;
    • Medição de correntes;
    • Medição de tensão;
    • Lei de Ohm;
    • A resistência de um fio;
    • O potenciómetro;
    • A ligação em série;
    • A ligação em paralelo;
    • Aquecimento de um fio;
    • Fusível;
    • Potência e energia;
    • O díodo;
    • Íman nos materiais diferentes;
    • Força entre ímanes;
    • Linhas de força de um íman;
    • A bússola;
    • Efeito magnético da corrente eléctrica;
    • O campo magnético de uma bobina;
    • Tensão de indução;
    • Transformação de tensão;
    • Resistência AC de uma bobina;
    • Condutividade de líquidos;
    • A resistência de um liquido;
    • Galvanização.
  • Óptica:
    • Propagação da luz;
    • Sombra;
    • A lei de reflexão;
    • Caminho do raio para diferentes tipos de espelhos;
    • Refracção num corpo semicircular;
    • Refracção e reflexão total a um corpo semicircular;
    • O caminho dos raios numa placa de lados paralelos;
    • O prisma “image-erecting”;
    • O prisma de desvio;
    • O caminho dos raios através de uma lente convexa;
    • O caminho dos raios através de uma lente côncava;
    • Distância focal de uma lente de espessura;
    • A equação da imagem;
    • Comprimentos focais de sistemas de lentes;
    • A câmara;
    • O projector de slides;
    • Os defeitos oculares e visuais;
    • A lupa;
    • O microscópio;
    • O telescópio astronómico;
    • O telescópio terrestre;
    • A dispersão da luz branca.
  • Hidrostática e Termodinâmica:
    • Vasos comunicantes;
    • Pressão hidrostática;
    • Forças que actuam sobre corpos na água;
    • A força de impulsão;
    • Princípio de Archimedes;
    • Submersão e flutuação;
    • Acção capilar;
    • Deslocamento de água por via aérea;
    • Bomba de água;
    • Medição de temperatura;
    • Calibração de um termómetro;
    • Temperatura de uma mistura;
    • Bimetal;
    • Expansão do volume de água;
    • Expansão do volume de ar;
    • A evaporação e a condensação;
    • Fluxo de calor na água;
    • Fluxo de calor no ar;
    • Radiação de calor.
  • Energias Renováveis:
    • A energia solar (fotovoltaica);
    • Células solares;
    • Ligação em série e em paralelo de células solares (estudo qualitativo e quantitativo);
    • Comparação entre uma célula solar e um módulo solar;
    • Tensão e corrente de uma célula solar em função da área de superfície da célula/ do ângulo de incidência da luz/ da temperatura/ da intensidade da luz;
    • Ensombramento de células solares num circuito em série e num circuito paralelo;
    • Propriedades tipo díodo de uma célula solar;
    • Características de uma célula solar;
    • Características de uma célula solar sob diferentes condições de iluminação;
    • Energia eólica;
    • O projecto de um gerador eólico;
    • Efeito da velocidade do vento (estudo qualitativo e quantitativo);
    • A velocidade do vento necessária para iniciar um giro da turbina eólica;
    • Efeito da direcção do vento (estudo qualitativo e quantitativo);
    • Efeito do número de pás de um gerador de energia eólica (estudo qualitativo e quantitativo);
    • Efeito do grau de inclinação das pás (estudo qualitativo e quantitativo);
    • Efeito da forma das pás (estudo qualitativo e quantitativo);
    • Células de combustível revertíveis;
    • Como um electrolisador funciona;
    • Como funciona uma célula de combustível;
    • Uso de energia eólica com célula de combustível reversível;
    • Característica de um electrolisador;
    • Como o volume de gás depende da corrente através do eletrolisador e do tempo;
    • Determinação da constante de Faraday, com o electrolisador;
    • Estimativa do conteúdo energético do gás de hidrogénio com o electrolisador.

BSK Química

  • Química inorgânica:
    • Densidade, a solubilidade, susceptibilidade à magnetização e coloração;
    • Temperatura de ebulição;
    • Sublimação;
    • Misturas heterogéneas;
    • Misturas homogéneas;
    • Evaporação;
    • Assentamento diferencial e decantação;
    • Derretendo e separação por magnetismo;
    • Refinação de rocha de sal por ebulição;
    • Separação de líquidos que não se misturam;
    • Extração;
    • A separação de substâncias por agitação;
    • Cromatografia;
    • Detecção de sólidos dissolvidos em diferentes amostras de água;
    • Detecção de gases dissolvidos na água potável;
    • Soluções, colóides e suspensões;
    • Soluções saturadas;
    • Determinação da solubilidade;
    • Dissociação de água e síntese de água;
    • Meios para detecção de água;
    • Importância do ar para os processos de combustão;
    • Investigação do ar;
    • Oxigénio – geração, detecção e propriedades;
    • O dióxido de carbono – geração, detecção e propriedades;
    • O dióxido de carbono – aplicações (extintor de incêndio);
    • Hidrogénio – geração e propriedades;
    • A produção de agentes de detecção de ácidos (e bases);
    • Efeito de indicadores sobre ácidos;
    • Ácido carbónico;
    • Cuidados ao manusear bases;
    • Efeito de indicadores sobre bases;
    • Solução de hidróxido de sódio e as suas propriedades;
    • Produção de bases por meio da reacção dos metais com água;
    • A formação de sal por neutralização;
    • A formação de sal por reacção de metais de base com ácidos diluídos;
    • A formação de sal por meio da reacção de óxidos de metais com ácidos;
    • A formação de sais por reacções de precipitação;
    • Cristais crescentes;
    • Congelando misturas;
    • O comportamento dos metais quando eles são aquecidos;
    • As causas das alterações em metais quando eles são aquecidos;
    • Até os metais queimam;
    • Oxidação (ferrugem como um processo de oxidação);
    • A protecção contra a ferrugem por imersão a quente de estanho e galvanização;
    • As alterações às propriedades do aço sobre o tratamento térmico de solda;
    • Espelho de prata;
    • Produção de carvão;
    • Carvão activado;
    • Enxofre – Propriedades (alótropos);
    • Iodo e suas propriedades;
  • Química orgânica:
    • As características comuns de todas as substâncias orgânicas;
    • O gás residual a formar durante a combustão das substâncias orgânicas;
    • O método de detecção clássica para o carbono;
    • Destilação seca do carvão;
    • A determinação da temperatura de fusão da parafina;
    • Destilação de petróleo bruto;
    • A precipitação dos componentes betuminosos em petróleo bruto;
    • Propriedades de fracções do petróleo bruto individuais;
    • Determinação do ponto de inflamação de fracções de petróleo bruto;
    • Éter de petróleo – um solvente;
    • Desparafinagem;
    • Desparafinagem por cristalização de extracção através da ureia;
    • Produção de “espírito de madeira”;
    • Fermentação alcoólica;
    • Produção de álcool puro por destilação;
    • Identificação dos álcool por meio do teste de tubo de escape;
    • Metanol distintiva e etanol;
    • Teste de iodo;
    • Etanol – um solvente;
    • Produção de álcool forte;
    • Inflamabilidade de uma mistura etanol-água;
    • Solubilidade em água de vários alcanóis;
    • As aplicações potenciais para glicol e glicerina;
    • Produção de ácido metano;
    • Produção de ácido oxálico a partir de folhas de ruibarbo;
    • Produção de ácido cítrico; ácido fórmico (ácido metano) – um agente de conservação;
    • Propriedades metano e etano; Formação de verdetes;
    • Éster do ácido metano;
    • Ésteres de ácido etano.
  • Química Analítica:
    • Teste de chama;
    • Análise tubo de sopro;
    • Pérola de bórax;
    • Análise de tintas caneta de feltro;
    • Fina camada de separação cromatográfica de corantes;
    • A separação dos iões de metais pesados;
    • Análise de ligas;
    • Titulação;
    • Determinação do teor de ácido acético;
    • Condutimetria;
  • Físico-Química:
    • Investigação da condutividade eléctrica de líquidos e soluções;
    • Detecção de migração do ião;
    • Galvanização;
    • Difusão;
    • Osmose;
    • Reacções endotérmicas e exotérmicas;
    • Reacções catalíticas.

BSK Biologia

  • Botânica:
    • Influência do inchaço no peso, volume, dureza e aparência para as ervilhas;
    • Pressão do inchaço;
    • Movimentos do inchaço;
    • A dependência da germinação de vários factores;
    • A incidência da luz sobre a germinação da planta;
    • Significado de cotilédones;
    • Substâncias germinação retardando;
    • Zonas de crescimento para a raiz e broto;
    • Quebra do amido durante a germinação;
    • O crescimento da raiz;
    • Direcção de crescimento da raiz;
    • Formação de raiz;
    • A força das raízes;
    • A dependência do crescimento sobre o fornecimento de nutrientes;
    • Substâncias de crescimento;
    • A importância da água para a vida vegetal;
    • Órgãos para absorção de água;
    • Condução de água num broto;
    • Plasmólise e desplasmólise;
    • Evaporação de água órgãos;
    • Significado abertura da fenda;
    • A demanda de água em relação à quantidade de folhas e tamanho das folhas;
    • O consumo de água de hidrófitos e aridófitos;
    • Protecção da evaporação;
    • Gutação.
  • Ecologia:
    • Dependência de temperatura dos processos da vida;
    • Dependência da luz nos processos de vida;
    • Conteúdo e processos vitais sal;
    • Resíduo da água natural;
    • O valor das águas superficiais e das águas pluviais pH;
    • A sedimentação de partículas do solo;
    • Solo e água (permeabilidade);
    • O valor de pH das amostras de solo (avaliação e influência);
    • Sólidos vivificantes;
    • Interacção competitiva de tipos de plantas;
    • Parasitas de plantas e animais;
    • Trofo-estrutura (cadeia alimentar): produtores e consumidores;
    • Trofo-estrutura (cadeia alimentar): decompositores;
    • A capacidade de armazenamento de água de turfa de musgo (pântano, pântano);
    • Investigação da fauna do solo com peneiras (funis de Berlese);
    • Investigação ecológica de campo;
    • Testes de emissões como por exemplo pelo escape do motor;
    • Efeito das emissões como por exemplo a “chuva ácida”;
    • Contaminação do solo.
  • Microbiologia:
    • Observações em microscópio de células de levedura e outras.
  • Fisiologia:
    • Audição direccional;
    • O toque;
    • Pontos frios;
    • A distância de detecção na pele;
    • Zonas gustativas na língua;
    • Efeito isolante da cobertura do corpo.

STEM

Muito se fala sobre STEM nos dias que correm! E não é para menos… mas o que é o STEM?

Será que STEM é mais uma sigla da moda que apareceu? Será que é uma nova disciplina ou uma nova maneira de ver o ensino? Sim é uma sigla que pretende transformar algo que já vem sendo falado há muito tempo e que agora se começa a colher os frutos!

Da sigla, todos já sabem que se trata de Science (Ciência), Technology (Tecnologia), Engineering (Engenharia) e Mathematics (Matemática). Mas o mais importante é o movimento que se está, ou que se tem vindo a criar em volta desta sigla e a sua aplicação com sucesso na Educação!

A Educação clássica necessita de se adaptar às novas realidades! Se antigamente se dizia que quem não tivesses estudos não era ninguém… Depois quem não sabia mexer num computador não tinha futuro… hoje a educação tem que acompanhar os desafios que foram lançados! Hoje os smartphones são de tal forma intuitivos que crianças de tenra idade mexem neles com a maior das facilidades… Hoje vivemos a internet das coisas… todos estes avanços fazem com que a tarefa do professor seja mais complicada… Hoje em dia tem-se toda a informação (correcta ou não) à distância de um clique! Como se explicar aos miúdos que têm que aprender isto e aquilo… enfim… uns queixam-se que os miúdos não querem aprender… outros queixam-se que os professores não motivam… a Educação está “doente” e precisa rapidamente transformar-se… e essa transformação já está a acontecer!

Se em vez de se explicar em mais uma aula teórica os elementos da tabela periódica, pedirmos aos alunos que criem uma música sobre os elementos da TP? Música é claramente uma temática que é transversal a todos os miúdos! Porque não usá-la para gerar a diferença? Testem e vejam que terão músicas bem interessantes e que eles (os alunos) vão-se interessar muito mais pela tabela periódica do que em quaisquer 50 minutos de aulas teóricas… Ou experimentem falar dos comprimentos de ondas das cores, utilizando um robot com um sensor fotoeléctrico… Ora esta é a verdadeira essência do movimento que se está a desenvolver! O jovens não querem matéria chata… eles acham (e com razão) que conseguem ter essa informação na internet… Agora dêem-lhe problemas reais para resolverem… Ou seja usem problemas para abordar os temas “chatos”… eles conseguem sozinhos irem para a internet pesquisar e acreditem que eles os vão surpreender!

Resumindo a STEM é um movimento que pretende dar mais ênfase ao trabalho prático e ao divertimento, nada de novo, pois nas últimas décadas já se falou do blended learning, hand-on learning, e muitos mais… agora estamos de facto a entrar com o STEM no ensino baseado em projectos.

Quer levar os seus alunos a outro nível? Fale connosco, temos muitos pacotes STEM que o ajudarão!